Enquanto isso...




Oi gente tudo bom? Me desculpem a ausência, estou trabalhando loucamente tenho entrando apenas para responder as mensagens e volto à correria. Quando chego em casa teço uma blusa para mamãe com Barroco Maxcolor e um cachecol com o fio Barroco Multicolor. Ambos estou gravando e estarão aqui no blog assim que terminar :)


Muitos perguntaram quando será o resultado do último sorteio e eu estou lendo as frases uma por uma, e são várias. Para não ser injusta, estou pedindo que alguns amigos do trabalho me ajudem a escolher as melhores e vamos votar aqui na mais bacana, mas já quero dizer que vocês foram muito criativos, ta difícil demais escolher só uma viu.


Por aqui além de estar correndo de uma escola pra outra (finalizando turmas, horários, notas, calendário de eventos, participando de festinhas com alunos e turmas) fiquei sabendo que a UFG voltou da greve, e eu realmente estou me vendo ficando louca semestre que vem com a psicologia e as turmas.


O lado bom é que eu estou amando a nova empresa que estou trabalhando. Todos (literalmente) são pessoas maravilhosas, tem uma mulherada bonita, parece que estou em casa, da tia da limpeza até o chefe todos foram muito legais comigo. Aqui vai uma foto de hoje cedo (olha minha raiz de quem não tem tempo nem para retocar o cabelo).







E pra terminar eu queria compartilhar um capítulo de um livro que comprei quando passava numa feira de livros espíritas no cainho pra casa (eu adoro livros de todos os tipos de religiões, e como quis ajudar ao pessoal comprei um livro que acabei adorando ler). Aqui vai:


Quando...
Quando compreendermos que vingança, ódio, desespero, inveja ou ciúmes são doenças claramente ajustáveis à patologia da mente, requisitando amor e não revide...

Quando interpretarmos nossos irmãos delinquentes por enfermos da alma, solicitando segregação para tratamento e reeducação e não censura ou castigo...

Quando observarmos na caridade simples dever...

Quando nos aceitarmos na condição de Espíritos em evolução, ainda portadores de múltiplas deficiências e que, por isso mesmo, o erro do próximo poderia ser debilitado à conta de nossas próprias fraquezas...

Quando percebermos que os nossos problemas e nossas dores não são maiores que os de nossos vizinhos...

Quando nos certificarmos de que a fogueira do mal deve ser extinta na fonte permanente do bem...

Quando nos capacitarmos de que a prática incessante do serviço aos outros é o dissolvente infalível de todas as nossas mágoas...

Quando nos submetermos à lei do trabalho, dando de nós sem pensar em nós, no que tange a facilidades imediatas...

Quando abraçarmos a tarefa da paz, buscando apagar o incêndio da irritação ou da cólera com a benção do socorro fraternal e abstendo-nos de usar o querosene da discórdia...

Quando, enfim, nos enlaçarmos, na experiência comum, na posição de filhos de Deus e irmãos autênticos uns com os outros, esquecendo as nossas faltas recíprocas e cooperando na oficina do auxílio mútuo, sem reclamações e sem queixas, a reconhecer que o mais forte é o apoio do mais fraco e que o mais culto é o amparo do companheiro menos culto, então, o egoísmo terá desaparecido da Terra, para que o Reino do Amor se estabeleça, definitivo, em nossos corações.

Francisco Cândico Xavier, André Luiz
Meditações Diárias
Editora Ide 1ª edição
Páginas 101 - 102
2009 

Nenhum comentário

Obrigada pelo seu comentário. Ele será liberado em breve, enquanto isso, continue lendo e comentando os outros posts.